Quinta, 22 de fevereiro de 201822/2/2018
51985292179
Claro
17º
20º
26º
Gravatai - RS
Erro ao processar!
dy4
GIRO INTERNACIONAL
Smartphones e os notebooks não podem ser apreendidos de quem retorna do exterior
Entenda o caso
Moises Pacheco Gravataí - RS
Postada em 06/02/2018 ás 17h42
Smartphones e os notebooks não podem ser apreendidos de quem retorna do exterior

Uma decisão da 7ª Turma do TRF-1 (Tribunal Regional Federal da 1ª Região) abre um precedente para apelações por parte de quem voltou do exterior e teve algum item de consumo pessoal apreendido durante o retorno — como notebooks, máquinas fotográficas, smartphones e relógios. Em episódio recente, um laptop foi liberado para seu dono pelo juiz federal Clodomir Sebastião Reis, relator do caso, como “consumo pessoal do viajante, sem finalidade comercial”.


Só para lembrar, o artigo 155 do Decreto 6.759/2009 prevê, entre outras coisas, que “para fins de aplicação de isenção para bagagens do exterior, é considerado bagagem os bens novos ou usados que um viajante pode destinar ao seu uso, consumo pessoal ou para presentar, desde que sua quantidade, natureza ou variedade não indiquem que a importação é feita com fins comerciais ou industriais”.


Ou seja, para tudo o que você traz fora da cota de isenção de US$ 500 (via aérea ou marítima) ou de R$ 300 (via terrestre, fluvial ou lacustre), é preciso arcar com os custos de importação ou contar com a avaliação e o bom senso de quem é o responsável pela fiscalização no momento. No ocorrido em questão, a União entendeu que “a mercadoria sem a guia de importação configura dano ao erário, implicando pena de perdimento”.


O colegiado, em decisão unânime, entendeu que “a apreensão de um notebook, que se encaixa como bagagem, mais precisamente como bem de caráter manifestamente pessoal, não implica na aplicação da pena de perdimento, e nem na cobrança de tributo”, segundo o texto de Reis. Como a legislação é extensa e aberta a diversas interpretações, pode ser que venham mais discussões a respeito por aí.


Google+


É muito provável que você nem soubesse que o Google+ ainda existia. Caso você sequer saiba do que se trata, é a tentativa de emplacar uma rede social feita pela Google e que não deu muito certo. Sem condições de competir com a popularidade do Facebook, o Google+ acabou largado de canto e ainda existe após seis anos de sua criação.


É estranho como a Google ainda não descontinuou esse produto e mais estranho ainda agora que revelou que vai lançar uma nova versão para o aplicativo do Google+ para Android. Segundo as informações, o aplicativo não vai ter um design totalmente diferente, mas foi desenvolvido do zero.


Tente outra vez


É difícil imaginar o que a Google pretende com isso, visto que é complicado imaginar que a empresa tenha alguma esperança de realmente emplacar o Google+ a essa altura do campeonato. Seja como for, prepare-se para ver um aplicativo mais leve e mais em concordância com o estilo atual da companhia.


As mudanças devem entrar em vigor nos próximos dias, mas ainda deve demorar um pouco para a gente entender quais são as intenções da Google com sua rede social.

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

500 caracteres restantes

  • COMENTAR
    • Prove que você não é um robô:

© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium